8 dicas para você não errar ao declarar o imposto de renda

não errar ao declarar o imposto de renda

Entre uma das obrigações que devem ser cumpridas no início do ano está a Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física. No ano de 2018 ela deve ser enviada até o dia 30 de abril por meio do aplicativo ou software que pode ser baixado diretamente do site da Receita Federal.

Para quem está diante da sua primeira declaração, muitas dúvidas surgem: será que é preciso declarar? Quem está isento? O que é necessário ter em mãos?

Muitas dúvidas, não é mesmo? E ainda há o medo do erro. Afinal, ninguém quer cair na malha fina e passar por problemas para regularizar a situação e atrapalhar todo o planejamento realizado.

Então aproveite e confira 8 dicas para acertar todos os detalhes na hora de fazer a sua DIRPF (Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física).

Eu preciso realizar a Declaração do Imposto de Renda?

Uma dúvida comum é: eu realmente preciso enviar a Declaração de Imposto de Renda? A obrigatoriedade é para os seguintes casos:

  • quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano de 2017;
  • quem recebeu rendimentos não tributáveis ou tributáveis na fonte acima de R$ 40.000 no ano anterior;
  • quem possui bens (carros, imóveis etc.) cujo valor de mercado atual, na soma total, supere R$ 300.000;
  • quem vendeu algum bem ou ganhou algum valor por meio de investimentos (por exemplo, vendeu um apartamento ou realizou operações na bolsa de valores);
  • quem obteve receita bruta acima de R$ 142.798,50 por meio de atividades rurais.

Se você não se enquadra nesses casos, está isento e não precisa enviar a declaração.

Como não errar na Declaração?

É a primeira vez que fará a DIRPF e está com medo de errar e cair na malha fina? Basta que você siga todas as instruções oferecidas e que se atente a estas dicas.

1. Confira todos os valores declarados

Muitas vezes um número errado pode ser o suficiente para dar diferença no cruzamento de dados no sistema do Governo Federal. Por isso é importante verificar cada um deles, a fim de se certificar de que todas as informações estão corretas.

2. Não faça as correções dos bens para o valor de mercado

Ao declarar seus bens (automóveis, imóveis etc.) é necessário apontar o valor de aquisição, sem qualquer atualização para o valor de mercado. A única exceção é em caso de reformas ou benfeitorias que acrescentem valor ao bem (por exemplo, ampliação da área construída de um imóvel).

3. Não se esqueça de declarar os rendimentos de todas as fontes

Todo rendimento tributável adquirido deve ser devidamente declarado, independentemente da sua fonte, mesmo que não seja algo fixo.

Enquadra-se nessa categoria aluguel de imóveis, multa recebida por rescisão de contrato, pagamento de direitos autorais etc.

4. Não deixe de registrar a contribuição à previdência privada

Se você paga previdência privada é necessário declará-la no local adequado, sob risco de ter que retificar posteriormente. O registro deve ser feito de acordo com o tipo de plano que contratou: PGBL, VGBL, FAPI ou Fundo de Pensão.

Caso seja PGBL, deverá ser registrada em “Pagamentos Efetuados” e as demais na aba “Bens e Direitos”. Se tiver dúvida, entre em contato com a empresa e pergunte ao responsável.

5. Cuidado com o registro de doações

Não são todas as doações que são passíveis de dedução no Imposto de Renda, devendo ser declarado apenas as que entram no seguinte rol:

  • doações para conselhos públicos;
  • incentivo à cultura;
  • projetos desportivos e paradesportivos;
  • incentivo ao Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência e ao Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica.

6. Revise todos os dados antes do envio

Sempre verifique todas as informações que estão contidas na declaração, desde os valores apresentados quanto documentos, dados dos bens, entre outros.

Um dado errado pode gerar conflito no cruzamento de dados e ser necessário retificar posteriormente. Por isso deixe a preguiça de lado e faça a revisão antes de transmitir!

7. Não deixe para a última hora

Deixar para a última hora é um dos maiores geradores de erros. Com a pressa, muitas vezes não se checa os dados apresentados e, com isso, informações erradas são enviadas.

Então aproveite que ainda há tempo e faça tudo com calma para não errar ao declarar o imposto de renda.

8. Faça a declaração retificadora caso identifique o erro posteriormente

Se mesmo seguindo todas essas dicas para a Declaração do Imposto de Renda você perceber um erro após a transmissão, faça a declaração retificadora. Quanto antes conseguir regularizar a situação, menos risco de cair na malha fina e poderá ter tranquilidade de que cumpriu a sua obrigação com a Receita Federal.

Essas dicas foram úteis para ajudar na hora de preparar a sua Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física? Então continue acompanhando nosso blog para conhecer mais dicas úteis para planejamento financeiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *